A crise de abstinência do cigarro

Quem deixa de fumar geralmente experimenta um conjunto de sintomas desagradáveis que variam em intensidade e duração – de 24 horas a dois meses, em média. É a síndrome da abstinência do cigarro., que se caracteriza por inquietação, ansiedade, nervosismo, fadiga, perturbações do sono e do ritmo cardíaco, dificuldade de concentração no trabalho e, naturalmente, intensa vontade de fumar. O motivo é a supressão da nicotina, um alcaloide presente nas folhas do tabaco; sua ação no sistema nervoso central cria a dependência, cujos mecanismos ainda são desconhecidos. É isso que explica o pouco êxito das drogas antagônicas à nicotina.


Depois de uma tragada, as substâncias tóxicas do fumo chegam ao pulmão, vão para o sangue e se difundem pelo organismo. Quando a nicotina chega ao cérebro, aumenta a produção de substâncias que através da circulação atingem o coração. Sem a nicotina, o organismo passa por uma readaptação. Livres do monóxido de carbono (que combinado com a hemoglobina do sangue acaba imitando a oxigenação do organismo), as células tornam a respirar.


A irrigação sanguínea se normaliza e a pele recupera o viço. Sem as substâncias tóxicas do fumo, que lesam as papilas gustativas e o nervo olfativo, os ex-fumantes redescobrem cheiros e sabores. Com a desintoxicação do cérebro, o sono também melhora.

Fonte: Biblioteca Cruz Azul no Brasil

Deixe seu comentário

Cruz Azul no Brasil - Para VIDA sem Drogas

Sede Cruz Azul

Rua São Paulo, n° 3424
Itoupava Seca, Blumenau / SC
CEP: 89.030-000

Redes Sociais

Criação de Site por Vale da Web