Vivemos a era da dependência – que virou um grande negócio mundial!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O americano David Courtwright, especialista em história das drogas, escreveu um livro chamado “A Era da Adicção: como maus hábitos viraram grandes negócios”. A tese principal do livro é que “…as empresas oferecem produtos que produzem a liberação de dopamina de uma maneira que condiciona e, finalmente, altera o cérebro e desenvolve certos comportamentos viciantes, ou seja, comportamentos prejudiciais.
As pessoas sempre venderam produtos potencialmente viciantes, mas o que aconteceu nos últimos cem anos ou mais é que mais dessas estratégias comerciais vêm de empresas altamente organizadas que fazem pesquisas muito sofisticadas e encontram mais maneiras de comercializar esses bens e serviços viciantes”, explica ele.
Sublinha que produtos e empresas mais exploram é o que ele chama de “capitalismo límbico”: “meio século atrás, eu diria que seriam principalmente produtos como álcool, tabaco e outras drogas. Mas nos últimos 20 ou 25 anos, houve uma grande expansão do conceito de dependência. Então agora não falamos apenas de dependência de drogas, falamos de dependência de pornografia, de jogos de computador, de mídias sociais, de comida, de todo tipo de coisas. O que acontece nas últimas décadas é uma explosão de inovação tecnológica e produção em massa e marketing em massa e, mais recentemente, a ascensão da internet, que realmente acelerou o processo e abriu novos espaços para os capitalistas límbicos chamarem nossa atenção e nos vender mais produtos”.
No seu entender, vivemos em uma era de vício, de jogos e compras compulsivos a compulsão alimentar e abuso de opióides. O açúcar pode ser tão viciante quanto a cocaína, dizem os pesquisadores, e os aplicativos de mídia social estão fisgando nossos filhos. Mas o que podemos fazer para resistir às tentações que religam insidiosa e deliberadamente nossos cérebros? Nada, diz David Courtwright , a menos que entendamos a história e o caráter das empresas globais que criam e atendem aos nossos maus hábitos.
Courtwright espera que o “capitalismo límbico” possa ser contido pela oposição organizada de todo o espectro político. Progressistas, nacionalistas e tradicionalistas já fizeram uma causa comum contra os fornecedores de dependência antes. Eles poderiam fazer isso de novo.

Para saber mais sobre David Courtwright visite seu site: https://davidcourtwright.domains.unf.edu/

Deixe seu comentário

Cruz Azul no Brasil - Para VIDA sem Drogas

Atendimento

Sede Cruz Azul

Rua São Paulo, n° 3424
Itoupava Seca, Blumenau / SC
CEP: 89.030-000

Redes Sociais

Criação de Site por Vale da Web